Tuesday Top Five • Mudando de Carreira

Todo mundo sabe que eu mudei de carreira há alguns anos. Sou formada em Cinema pela UFF – e amo ter feito essa faculdade, tenho maior orgulho – e trabalhei com direção de arte e figurino por muito tempo. Eu era enlouquecida pelo meu trabalho e já no primeiro período da faculdade eu estava fazendo filme. Eu fiz taaaaanto curta metragem na faculdade que perdi as contas. Fiz taaaaanto estágio não remunerado no primeiro ano que também seria impossível contar. Eu só pensava nisso, eu era completamente viciada e bitolada, uma paixão louca pela minha carreira.

Cresci, fiz os ‘trabalhos dos sonhos’, trabalhei com quem eu quis, mas aí veio o tempo e a rotina começou a pegar pra mim. Continuava amando o trabalho em si mas o dia a dia in-sa-no [quem faz cinema trabalha 12 horas por dia 6 dias por semana!] estava me matando, eu nunca conseguia viver os programas da família/amigos, tava sempre filmando no feriado, no final de semana, no carnaval… acho que só não trabalhava no Natal, hahaha. Fui cansando, ficando de saco cheio dos projetos – verdade seja dita: pra cada projeto legal que eu fazia, eram mil publicidades/séries/institucionais chatérrimos. Eu sou muito movida a paixão, eu tenho imensa dificuldade em fazer o que eu não acredito/gosto. [aliás, tem um livro genial de consultoria de estilo em que um dos questionamentos que ele levanta é: “sou minha melhor versão quando ______” e a minha resposta é sempre ‘quando faço o que eu acredito’.].

mudando de carreira 1as coisas pelas quais você é apaixonado não são aleatórias, são o seu ‘chamado’. 

Enfim, daí eu acabei abrindo o blog, comecei a escrever sobre moda e beleza (que sempre foi minha paixão) e lentamente eu fui parar em consultoria de estilo. Já falei mais sobre minha carreira em moda. Hoje em dia eu amo o meu trabalho, sou feliz, faço o que acredito e tenho mais zilhões de idéias pra melhorar o serviço que presto todos os dias, hahahaha.

As 5 dicas pra quem está mudando de carreira são conselhos, pensamentos e coisas que eu gostaria de ter ouvido lááá atrás. Espero que ajude! <3

1- Aceite os seus talentos e as suas vocações

Eu s-e-m-p-r-e tive uma relação fortíssima com moda e beleza! Nunca passei despercebida, na adolescência grunge eu tinha cabelo cor de rosa e usava calça rasgada. Sempre me expressei através da minha imagem pessoal mas passei taaaanto tempo negando, tanto tempo achando que moda era ‘fútil, coisa de gente burra’, que acabei perdendo mó tempo. E precisei de muita terapia pra conseguir olhar pra dentro e reconhecer o que eu, de fato, sei fazer, gosto de fazer, tenho talento pra fazer.

2- Pesquise o mercado

A princípio eu queria trabalhar com jornalismo de moda, adoro escrever, eu teria sido muito feliz com essa carreira. Mas, verdade seja dita, não é um trabalho moleza (de horários, eu digo), eu estava saindo de Cinema justamente por querer ter uma vida menos escrava do trabalho e ia me enfiar em jornalismo? Hahaha. Demorei a aceitar essa realidade e ainda não acho que sou 100% bem resolvida com o fato de não ter trabalhado em revista nenhuma – apesar de ter colaborado com algumas – mas fato é que eu não funciono nesse esquema de trabalho 24 horas por dia 7 dias por semana. Eu preciso ter tempo pra vida pessoal, simples assim. [ainda mais agora, com filho…]. Resumindo, vai ver não dá pra ser diretor de videoclipe, mas dá pra trabalhar na MTV…

3- Caminho escolhido? Espalha!

Resolveu que vai fazer nutrição infantil? Biologia marítima? Virar cabeleireira? Conte-para-todo-mundo! Isso é muito importante, move a energia, deixa as pessoas ligadas e aptas a te ajudar (porque se ninguém sabe o que você faz, ninguém te indica pra nada!) e se ouvir falando da sua nova carreira ajuda muitoooo a, de fato, fazer essa mudança. Comigo, até hoje, se o Naldo da portaria do prédio me dá bom dia eu respondo ‘bom dia, sou consultora de estilo’. Se você não se vender, amiga, ninguém vai. Agarra com unhas e dentes essa missão porque é importante demais vender o próprio peixe: conheço gente super incompetente que tem mil clientes só porque é bom no comercial. O contrário, juro, nunca vi.

4- Estude, estude, estude

Meu marido fala que sou viciada em fazer curso e sou mesmo. Não só quero aprender com os outros, mas quero ver como ele se vende, como ele trabalha, quem é o público alvo, como ele começou, onde ele está hoje, sou muito curiosa e curiosidade sempre foi uma grande qualidade minha no trabalho. Faça curso, leia livros, leia sobre os profissionais da sua área, faça estágio, peça pra aprender com alguém… quem está mudando de carreira, normalmente, tem a maturidade a seu favor. E isso conta muito mais que o tempo e a disponibilidade da ~juventude~ hahaha.

5- Mantenha a constância

Esse foi um dos melhores conselhos que já recebi na vida, ele veio de minha amiga super bem sucedida (oi, Fernanda!) e que tem muita consciência de quem é e de onde está. Um dia eu tava lá reclamando (porque eu sempre quero mais e sempre acho que não tá suficiente) e perguntei pra ela como ela conseguiu, tão jovem, chegar onde ela chegou. Ela respondeu ‘Thais, tem que fazer o seu melhor com constância. É que nem fazer dieta, se você perde 5kg e para de ir na academia todo dia, volta a comer doce depois do almoço o regime vai estagnar. Tem que dar sangue, suor e lágrima todo-santo-dia.” E eu concordo demais e hoje faço isso com muito mais consciência (apesar de sempre ter feito sem pensar muito sobre o assunto). Eu, hoje em dia, penso 24 horas por dia em trabalho, mas de um jeito bom e saudável. Tudo que eu vejo e respiro eu penso se pode voltar pras minhas clientes, se pode agregar aqui no site… acho que esse é segredo. Persistência e paciência – e não, não é fácil.

E boa sorte! <3

PS: pra mulheres empreendedoras e que querem crescer no trabalho eu sempre indico o livro Faça Acontecer: Mulheres, Trabalho e a Vontade de Liderar, clica aí pra ler a minha resenha.

Comente no facebook

comentários