Quanto vale o que a gente compra?

[Quanto vale o que a gente compra? Eu vou falar de roupa, acessório e sapato porque é essa a minha praia, mas o pensamento, acredito eu, vale pra tudo!]

compra

Um dos muitos pensamentos que a gente precisa ter na hora de escolher o que a gente compra e o que não vale a nossa grana é quantas vezes vamos usar aquele item. O que a gente paga em uma peça de roupa não é o valor que deixamos no caixa, a gente paga pelo número de vezes que vai usar e isso é o que faz valer ou não a compra. Me explicando melhor: se uma blusa custou 20 reais e você só usou ela duas vezes, ela custou 10 reais por uso e isso é caro! Por outro lado, se você comprou uma bolsa de 10 mil reais e usou ela 3 vezes por semana, toda semana, por 25 anos — e uma bolsa que custa isso é pra durar muito mais — ela foi usada 3.600 vezes e custou R$2,77 por uso, o que já é barato.

É óbvio que a teoria não serve pra justificar a compra de uma bolsa de 10 mil reais, hahahaha, ok, não sóóó. hahaha. Mas sim, estou falando que o melhor é comprar menos quantidade e mais qualidade. O que tem material/acabamento/modelagem/ melhor pode custar um pouco mais porque vai render mais, vai sair do armário mais vezes e vai durar mais tempo (fora que vai, sim, te da mais conforto, bem estar e isso importa muito também, né?).

Esse pensamento do custo/uso é ótimo pra livrar a gente de ciladas: quantas blusas baratinhas a gente compra mas que não rendem 3 usos? Essa blusa é cara, é falsa baratinha. Esse tipo de peça você vai ter que comprar de novo e de novo e de novo – e a loja ‘baratinha’ fica rica e feliz da vida! Outra cilada boa de evitar é sobre peças caras e com mais qualidade. Sim, pra elas também. Se você quer comprar uma bota de 1.500 reais ela precisa ser usada, no mínimo, 300 vezes pra justificar o seu preço… se você mora em um país que faz calor o ano todo, em uma cidade super quente, não pode ir trabalhar com a bota e suas chances de usá-la vão se restringir a parcos finais de semana e a 2 meses do ano (sendo otimista!), não vale.

O que a gente usa mais é onde vamos gastar mais dinheiro: roupa do dia a dia, roupa de trabalho… e não roupa pra festa, bolsa pra casamento, sobretudo de lã – quando se mora no Brasil, coleção de biquini – quando se mora na Suécia….

E o que vai ser usado pouco (acontece, somos humanas), merece ser comprado em loja barata, tipo tendência que não vai colar muito tempo; roupa pra usar uma única vez – sobre look pra casamento, tem um post completo aqui!

Claro que essa é a teoria, né? Tem o que a gente compra por amor-loucura-paixão, tem as situações que, por si só, valem muito – vai falar pra uma noiva que o vestido dela tem que ser usado 400 vezes? Não vai, né? Hahahaha – mas em geral esse é um bom pensamento pra se ter em mente. A maior parte do nosso armário tem que ter custado centavos, alguns itens podem ser ‘caros’ e nenhum pode ter preço cheio, que é aquilo que a gente não usou nunca e tá lá, empacado.

Combinadas? 🙂

Comente no facebook

comentários