Festa de Aniversário – 1 Ano

Há uma semana Miguel fez um ano e nesse domingo vai rolar a festa de aniversário. Desde sempre eu ouço que festa de 1 ano é para os pais e não para o bebê, porque ele não curte nada, nem vai lembrar da festinha quando crescer… eu, às vésperas de fazer uma comemoração para 60 pessoas (!!!) vim aqui dar minha opinião (e posso voltar pós festa pra atualizar, caso eu mude de idéia, hahaha).

Festa de aniversário de 1 ano é também para os pais, sim, e é muito justo que seja. Pense que eu passei 1 ano e 9 meses sem beber (gravidez + amamentação). Há 2 anos não consigo comemorar meu aniversário – quando fiz 30 anos, eu tava grávida e de repouso porque tinha tido um sangramento. No de 31 o Miguel tinha 5 meses, mamava feito um louco, não dormia e era impossível fazer qualquer comemoração. Passei comendo pizza e vendo tv em casa com o Rapha. [quem me conhece sabe que eu AMO comemorar meu aniversário!].

festa de aniversáriofestinha de um ano que a gente fez no dia, em casa

Desde que engravidei, saí muito menos, passei a ver os amigos e a família com menos frequência (moro em SP e minha família em Minas). Isso sem contar t-o-d-o-s os desafios vencidos com louvor nesse primeiro ano: um parto natural sensacional sem nenhum trauma/laceração, 6 meses de amamentação exclusiva, 1 ano de amamentação, introdução alimentar rigorosa sem nenhuma porcaria, ensinamos Miguel a dormir sem choro e sem loucura, um bebê lindo, cheio de saúde, feliz, divertido, amado, uma nova família sendo construída… Além disso, Miguel tem duas bisavós (minhas duas avós estão vivíssimas e cheias de saúde!), imagina quão emocionante é pra elas? Como assim a festa não pode ser minha também????? Pô, se isso não é motivo pra comemorar eu não sei o que é!

A festa do Miguel vai ser em uma fazendinha, ao ar livre, do jeito que eu sempre quis que fosse. Convidei os amigos mais amigos e a nossa família, pessoas que eu faço muita questão de estarem perto e de viverem comigo esse dia. Além disso, tem toda a energia boa que uma festa com pessoas amadas sempre traz. A festa é pro Miguel, pra mim e pro Rapha mas também pra todo mundo que viveu esse primeiro ano com a gente! E não, não consigo ver problema nisso. Aliás, esse argumento ‘a criança nem lembra’ é o pior: se a gente só fizesse coisas legais pros filhos só quando eles se lembrassem a gente só começava a dar presente, roupa bonita, viagem e amor quando eles tivessem uns 5/6 anos, né? Não-faz-sentido! Não vivo esse mundo cartesiano, eu amo o inconsciente.

Eu também nunca tive festa de casamento (quero casar um dia, vamos ver…) e não fiz comemoração em nenhum ‘mesaniversário’ do Miguel. Sei lá, achei bobagem, não tinha vontade comprar um bolo de churros sendo que  nem eu e nem ele podíamos comer (eu fiz dieta de restrição de leite e derivados por 6 meses). Minha família estava longe, na maioria dos meses eu tava no perrengue e pensava sempre em fazer coisas simples mas que fossem legais pro Miguel: banhos mais divertidos, passeios legais, levar pra brincar em algum lugar que ele curtisse… cada mês foi uma coisa.

Então, sim, vai ter festa de aniversário de 1 ano, vai ser pro Miguel e vai ser pra mim e pro Rapha também. Acho tudo bem também quem escolhe não gastar dinheiro com isso, quem não pode, quem não acha importante. Amo festa mas não acho que seja fundamental, não vai traumatizar (!!!) e também não concordo com esse mercado milionário de festa infantil Acho um roubo. Mas comemorar… ah, comemorar é preciso! <3

Comente no facebook

comentários