Minha Birra com a Cartela de Cores

Eu vou ser curta e grossa: não deixe que a sua cartela de cores, aquela que descobrimos com a análise de coloração pessoal, mine a sua personalidade. Acho que cada consultora de estilo tem uma proposta e uma crença, mesmo. Mesmo quem vem da mesma formação… todas nós temos individualidades, personalidades, lemos coisas diferentes e acreditamos em caminhos diferentes (ou pelo menos é assim que eu acredito que deveria ser). Ninguém é vendedora de Tupperware pra sair repetindo que nem um papagaio o que foi treinado a falar, né?

Pois bem, o que eu penso sobre a análise de coloração pessoal é: use com moderação. Cada mulher vai ter uma relação diferente com as cores, algumas amam, outras preferem os neutros, outras usam só em acessórios… e tudo bem. A cor diz muitaaaaa coisa, é a primeira informação que nosso cérebro registra, e é MUITO pobre pensar em usar apenas as ‘cores que te favorecem’.

Cores que te favorecem significam: cores que iluminam, ajudam, destacam tudo que você tem de bonito. Que neutralizam, diminuem, minimizam olheiras, marquinhas, cicatrizes…. E é verdade. Acontece mesmo. Mas a vida é tãããããão mais que isso. Cor é tãããããão mais que isso… Pensa comigo: você não é só pele, subtom, marcas, manchinhas e olheiras. Você é também personalidade, intenção, vontade, desejo, cor, pra mim, está muito mais ligado a personalidade e a sensação.

Falando primeiro de personalidade, um look todo preto é um look todo preto, concordam? É uma informação rápida, deliciosa, chapada (dependendo de como se usa, quais as texturas e afins), se você não tem preto na cartela (quase ninguém tem, aliás) a sugestão é que você substitua o preto por azul marinho ou cinza escuro. Na boa? Não, obrigada. A vida é muito curta pra não usar a cor que eu quero na hora que eu quero. O que eu faço é: tento usar na maquiagem cores da minha cartela e assim dar uma compensada. Eu digo TENTO porque se eu inventar de usar look all black + batom vermelho, eu faço. E nenhuma dessas cores me valorizam. E eu me sinto muito linda de roupa preta com batom vermelho, sabe por quê? Porque diz quem eu sou, fala da minha personalidade, que, na boa, é mais importante que harmonizar a minha beleza. Mesma coisa pra quem curte cores quentes mas é de pele fria… imagina? A cor preferida da pessoa é amarelo e, a partir de hoje, ela só pode usar amarelo nas partes de baixo (calça, saia, short) e olhe lá! Que tristeza!

cartela de cores

Além disso, tem a sensação. Cores causam sensação imediata, cor não é só beleza (tem aqui uma matéria legal sobre isso). Reza a lenda que cores quentes despertam a fome, e não precisa ser muito esperto pra pensar que um batom vermelho tem uma pegada sexy, mulher. Um céu azul acalma, dá uma sensação boa, energia… E isso não tem nada a ver com cartela de cores. Eu, pessoalmente, penso muito nas cores também nesse sentido. Gosto de trabalhar de preto pra não chamar tanta atenção, gosto de look todo branco quando tô muito agitada (realmente me acalma!), gosto de cinza pra acalmar peças muito estampadas… Cor é muito mais sensação que beleza.

Mas isso sou eu, rebelde, ariana, acho um saco ficar pensando que não posso usar tal cor ou que devo substituir o branco pelo bege (de-tes-to bege, inclusive). Acredito mais em maquiagem que em cartela de cor (juro!) e sempre pensei que eu devia esse post pra vocês. Claro que eu uso também a minha cartela… quando acordo muito cedo, tô cansada demais, vou ter pouco tempo de me arrumar eu uso tons mais claros (característica da minha cartela), passei a comprar mais coisas nas cores que me favorecem e eu gosto – tem várias que eu não curto, hehe. Eu acho que a coloração pessoal tem que ser mais uma ferramenta e não a grande ferramenta que mata a personalidade e a sensação. Eu achei um caminho legal pra pensar as cores e é esse o caminho que eu levo pras minha clientes. Nunca, jamais, never, falei pra alguém “hummm, vamos doar essa blusa porque ela é amarelo e você é uma pessoa de tons frios?”. Nunca! Nem nunca falei “você tá se sentindo linda com esse vestido mas essa cor não te valoriza”. Mais do que dizer quais cores a pessoa deve usar, eu gosto de explicar quais são as características dessas cores, pra pessoa entender e pensar sozinha sobre isso.

Não consigo entender alguém que usa a cartelinha de cores na loja, quando tá escolhendo a roupa… fica lá comparando pra ver se o tom de laranja que ela ~pode usar~ é aquele ali ou se é mais claro. Acredito muito em compras conscientes, em comprar certo, ter o que a gente precisa, pensar na hora de comprar, mas gente… paixão é fundamental. Tem que amar, sim, que se apaixonar, sim, tem que olhar pra roupa e falar eu não posso viver sem ela!!! Essa roupa, nessa cor, fala pro mundo quem eu sou, passa a imagem que eu curto, tem a minha personalidade, a minha cara. Se tem a cor que me valoriza bem, se não, amém.

A cor fala sobre a gente e nem sempre o que a gente quer falar pro mundo é: “Olha como estou harmonizada, olheiras disfarçadas, manchinhas contidas.” E tudo bem. <3

Comente no facebook

comentários