Mark Zuckerberg E O Mito Do Uniforme

Mark Zuckerberg, CEO do facebook (precisa mesmo explicar quem é ele? haha), vive dizendo por aí que só usa camiseta cinza para evitar tomar decisões ‘bobas ou frívolas’, como se escolher a roupa que a gente veste todo dia fosse uma bobagem, uma futilidade. Ele alega que ‘até mesmo pequenas decisões, como escolher o que vestir ou o que comer no café da manhã, podem ser cansativas e consumir energia, e que ele não quer perder tempo com isso.’. [fonte: o globo].Eu, quando li, fiquei com ódio, mas aí fui pensar mais a fundo porque né? Não somos bobas e não seremos enganadas, hahaha.

O que eu pessoalmente acho é que se o Mark Zuckerberg estivesse certo o planeta inteiro usaria só uma roupa, a moda ia acabar, seríamos infelizes repetidores de looks. Afinal de contas, todo mundo quer ser bem sucedido e ninguém quer gastar energia a toa. Acabaria a criatividade. Fim. Mas eu discordo. Primeiro porque eu realmente acredito que se vestir é um exercício de auto conhecimento e que se conhecer melhor só pode fazer bem pra vida/pros negócios/pro mundo. Aliás, até vestir uma mesma blusa todos os dias é uma opção que diz muito sobre você [já falo mais sobre isso]. Todas as escolhas que a gente faz na vida dizem muito sobre a gente, se você escolhe ter ou não filhos, se você decide comer ou não carne, se você viaja pra Orlando ou pra Guiné Bissau, tudo isso é estilo, tudo isso é parte do que a gente é (ou quer ser), tudo isso comunica para o mundo uma idéia, uma imagem, uma sensação, uma postura, um posicionamento. Então, sinto muito, mas, pela milionésima vez nesse blog, eu digo: o que você veste comunica uma idéia para o mundo. Goste você ou não. Se importe ou não. Faça disso um statement, um posicionamento, uma ferramenta ou não. Não importa. A roupa-cabelo-maquiagem-barba falam. Não à toa, quando uma pessoa famosa decide não usar maquiagem, isso é uma militância, um posicionamento político, como fez a Alicia Keys.

Tá, mas isso é o óbvio, isso é o que todos nós já sabemos, né? O que eu realmente acredito vem agora:

Acho que Mark Zuckerberg, assim como o Steve Jobs, usa essa estratégia de escolher apenas uma roupa para usar todo dia porque isso cria uma imagem muito forte, muito poderosa. Primeiro porque dá um conforto visual e emocional olhar para alguém e já saber como ele vai estar, sempre. É, por isso a Turma da Mônica tá sempre com a mesma roupa, o Batman, o Homem Aranha e afins. É fácil, é eficiente, a imagem cola na sua cabeça, vira um símbolo, uma marca, não é mais só roupa. É pelo mesmo motivo que as crianças gostam de ouvir sempre as mesmas histórias, é confortável saber como termina, dá segurança. Eu acho que o Zuckerberg não é nada bobo, ele sabe bem direitinho que vivemos a era da imagem (e ele vive disse com o facebook) e não ia ter um posicionamento tão aleatório a cerca da imagem dele. Até porque, ele escolheu uma camiseta (símbolo maior do jovem), cinza (cor neutra, visualmente confortável), ele não escolheu um terno (sério, pomposo, pretencioso), preto (cor séria, que encerra, que apaga, que afasta).

Segundo porque a roupa que a gente veste pode (e deve!) evocar a persona profissional. É o que acontece com o médico, por exemplo, que veste a roupa branca e já entra no personagem médico (porque, não parece, mas médico também é gente, com vida pessoal, haha). Isso funciona muito, eu sempre crio esse ‘uniforme persona’ para clientes que estão com dificuldade de assumir algum papel na vida, vou dar um exemplo, mas existem muitos: mulheres que tiveram filho recentemente e estão com dificuldade e serem também indivíduos, mulheres, únicas. Tô falando aqui de mulheres que querem sair sozinhas com o marido, que sentem falta de fazerem coisas por elas mesmas, algo nessa linha… eu sempre separo algumas peças do armário que são só para esse ‘momento-mulher’ [a gente até compra alguma coisa pra deixar ainda mais marcado]. São símbolos, são ajudas visuais que facilitam a girar a chavinha interna.

Ou seja, é claro que usar uma mesma camiseta todo dia é uma escolha super consciente de criação de imagem. Se ele usasse cada dia um look esse assunto talvez nem existisse… ele não só criou uma imagem super forte como tornou isso relevante, curioso, uma coisa ‘nerd excêntrico’. É tudo calculado, claro. Por outro lado, eu não tenho dúvidas de que ele não é uma pessoa que se importa com moda, ele certamente não sente necessidade de expressar seu talento e criatividade em roupas. É óbvio. Quédizê, ele tinha 3 opções: ser mal vestido, ter uma stylist ou usar uma estratégia visual pra resolver (com louvor) o ‘problema’. No frigir dos ovos, o danado conseguiu se destacar até onde não é o forte dele, num assunto que ele não domina e não tem interesse. Uma salva de palmas, hahaha.

De qualquer forma, não fala mentira pra gente, Mark Zuckerberg, porque não somos gênios bilionários mas também não somos trouxas. 😉

Comente no facebook

comentários