Sobre Prestação de Serviço e Telefone

Outro dia me perguntaram se eu dou meu telefone pras minhas clientes. A princípio nem entendi a pergunta, mas a pessoa repetiu justificando que ‘cliente é foda, né, não tem limite, liga sem parar’. Fiquei paralisada porque sim, É ÓBVIO, que eu dou meu telefone pras minhas clientes. Dou meu telefone pra todo mundo que me pedir, não é assim que funciona? As pessoas ficam chocadas com isso pq, supostamente, devemos resguardar esse símbolo sagrado da nossa vida, o número do telefone (!!!). Porque cliente é chato, porque cliente incomoda, porque cliente é tipo inimigo. cliente!! Sim, esse humano que compra o seu serviço, acredita no seu trabalho, investe dinheirosssss no seu negócio: ele não pode ter o seu telefone! Inacreditável.
 
O que me choca, entretanto, é ver a quantidade de prestador de serviço de luxo achando que é assim mesmo, que bonito é ser inacessível. O ser humano não suporta o ser humano, que triste. Além do fator ‘ser humano’, me impressiona também o amadorismo. Cê jura que vai ter uma carreira ~de sucesso~, seja lá o que isso for pra cada um, mas que pelo menos paga as suas contas no final do mês, sendo babaca assim? Se achando melhor que o seu cliente? Coitado. de.você.porque.não.vai.
 
Eu não sou da vibe ‘amo geral, somos todos irmão’. não cheguei nessa evolução espiritual e tô longe, inclusive, mas todas os meus clientes são pessoas pelas quais eu tenho, no mínimo, interesse e respeito. Tenho clientes que viraram amigas, outras com quem nunca mais falei, mas não tenho nenhum cliente pra quem não dei meu telefone ou de quem eu fujo (!!!). Além de ser super desrespeitoso, é de uma criancice sem tamanho.
 
Ser adulto e prestar um serviço é: não atender o telefone quando vc não puder/quiser. Retonar em seguida, quando puder/quiser e explicar que nesse horário/dia você não está disponível. Não mata, não dói, não estamos no maternal, ninguém vai ficar ‘de mal’. E eu n-u-n-c-a tive problema com cliente que manda mensagem domingo 2h da manhã porque, se ela manda, eu não respondo. Respondo quando puder e pronto, ficamos todas felizes, na próxima vez ela nem me escreve nesse horário porque eu não vou responder. Ou escreve e eu respondo quando puder novamente.
Preciso dizer que eu costumo responder em horários malucos, o mais rápido que posso, pq eu sou assim e não me cansa ser assim. Acho mais fácil não acumular coisas pra fazer, mas também já não respondi na hora porque estava de férias, porque tava com Miguel, porque tava dormindo… não se ofenda com a mensagem, com a ligação. Ninguém é obrigado a responder/atender na hora, é só um alinhamento de expectativa, é só explicar quando e como você está disponível. Mas não dar o telefone, não querer ser encontrado, é ridículo. 
PS: Arquiteto, consultora de estilo, personal trainer, personal organizer, tudo isso é serviço de luxo. Não luxo no sentido opressor da palavra, nem porque é caro [porque nem sempre é], mas luxo no sentido de que esses serviços não são itens de primeira necessidade, não são comida, água, moradia. É luxo porque é individualizado, feito exclusivamente pra alguém, são coisas que geram bem estar, conforto e não sobrevivência. 😉

Comente no facebook

comentários