FAQ: Carreira de Consultora de Estilo

A coisa mais legal da internet é como ela aproxima as pessoas, né? Acho massa quando eu recebo email perguntando sobre a carreira de consultora de estilo, como foi que eu fiz, como foi que eu comecei. Tem também a turma que tá pensando em mudar de carreira e consultoria de estilo tá na moda (morro mas não perco um trocadilho cafona, haha). Por fim, rola a turma do ‘socorro, como faz pra ter cliente?!’.

Eu não tenho a resposta, né, gente, eu tô aí vivendo e trabalhando muito, igual a todo mundo, mas eu vou tentar fazer um post FAQ com o que eu sei (que é só e somente a minha experiência, o que não quer dizer que a sua precisa ser igual ou sequer parecida).

1- Como foi que eu comecei? Qual a minha formação?

Já falei da minha carreira em moda aqui no blog e também no instagram. Acho que esses dois posts respondem bem. 🙂 Ctrl c + Ctrl v no post do instagram:

eu sou formada em cinema e trabalhava com direção de arte antes de ir pra moda. pode parecer que não tem nada a ver, mas é uma área bem afim, é totalmente sobre cor, textura e arte visual, de maneira geral. quando resolvi mudar pra moda eu fiz um curso de jornalismo de moda com a @camilayahn, um curso de história da moda e outro sobre história da beleza na faap. depois eu fiz o curso de formação em consultoria de estilo da @oficinadeestilo. estudei ainda com a @manumoda e fiz um curso sen-sa-ci-o-nal de história da moda no MET, em ny. uma hora falo só desse curso pq ele merece. <3 estudei também um pouco de costura e modelagem no @senacsaopaulo. acho que é isso, a verdade é que roupa-moda-estilo é uma língua que eu sempre falei, intuitivamente. sempre me comuniquei com as minhas roupas, é uma coisa bem natural pra mim, então eu nem sinto que mudei taaaaanto de carreira, assim. mas estudar é super importante, sim e faz imensa diferença. e vale lembrar sempre: consultora de estilo gosta mais de gente que de roupa. 🖤⚡️⠀⠀

2- Será que eu viro consultora de estilo?

Parece uma loucura, mas todo dia alguém me pergunta isso. Juro. A resposta é: não faço a menor ideia, é impossível opinar sobre isso na vida de pessoas próximas imagina com quem eu não conheço?! Mas vamos lá, vou te ajudar a decidir. Acho que a primeira coisa que vale pensar é que ser consultora de estilo é ser prestadora de serviço. Antes de mais nada, prestador de serviço é um ser humano que precisa ser ‘porta bandeira de si mesmo’. Eu explico: precisa saber produzir o próprio rolê, precisa gostar de pensar o próprio negócio, precisa saber (ou aprender na marra) a vender o seu serviço. Eu não conheço nenhuma consultora de estilo que vive disso, paga as contas (real-oficial, porque só dar pinta no instagram tem milhares) que não é sinistra no próprio negócio. Que não pensa marketing, estratégia, branding, posicionamento, nicho… e por mais que você contrate alguém, ninguém vai te vender tão bem quanto você mesma. Tem-que-saber.

A segunda coisa importante de pensar é se você curte a vida loka de não ter salário, férias e 13º. Claaaro que dá pra se organizar e ter tudo isso ao longo dos anos, mas, em geral, consultora de estilo é profissional liberal que mata um leão por dia pra fechar as contas do mês. Não tem estabilidade, não tem nada garantido. Existem alguns (poucos, muito poucos!) empregos, tipo ser stylist em shopping, mas isso não costuma ser suficiente $$$.

Por fim, tem que gostar de gente mais do que de moda. Tem quem se desgaste e se esgote energeticamente quando tá perto de muita gente, pessoas desconhecidas… consultora de estilo precisa ser o oposto: precisa se recarregar com outras pessoas. Precisa se importar, saber ouvir (e não esperar pra falar), precisa ter a sensibilidade de não julgar suas clientes, precisa pensar mais nela do que em você. A gente não muda ninguém, nossa função é de tradutora e treinadora: você percebe e entende quem é aquela mulher, traduz em roupas e ensina pra ela tudo que você percebeu e descobriu. É isso. Você fala uma língua que ela ainda tá aprendendo, é fazer essa conexão.

Ah! E não tem glamour, tá? É trabalho pesado: é agachar e levantar sem parar, é ficar horas em pé, é andar-andar-andar vendo loja sozinha e depois acompanhada, é sentar a bunda no computador e fazer a parte técnica e teórica… não tem scarpin de salto 12 cm e blazer bem passado desfilando no shopping. É trabalho e é muuuito trabalho, é uma trabalheira louca.

3- Como é o mercado?

Nunca sei responder essa pergunta, gente, mas assim, pensando com calma, acho que o mercado é novo, a maioria das pessoas nem sabe o que faz uma consultora de estilo. Eu sinto que preciso explicar sempre qual é o meu trabalho. E é difícil, tem mais consultora de estilo que cliente, eu acho, mas também acho que tem muuuuita consultora ruim, perdida, que estudou muito pouco ou que não encontrou o seu nicho. Então sempre tem espaço, mas eu realmente acho que tem espaço pra quem vai pular de cabeça e trabalhar nisso todo-santo-dia. O melhor conselho de trabalho que eu já recebi na vida é: faça todo dia, faça com constância e eu realmente acho que é isso que faz qualquer coisa dar certo.

4- Me dá uma dica?

Minha dica é a tal da constância: fazer todo dia, fazer bem feito e fazer com inteção. Em seguida encontrar seu nicho, seu estilo, seu caminho, pensar o que você pode fazer de diferente, o que você tem de especial… porque imitar outra pessoa nunca dá certo. Ahhhhh e tem que estudar, gente, muito, mas muuuuito! Como não tem faculdade de consultoria de estilo eu sinto que as pessoas se acomodam demais, fazem um curso e já se acham phd… eu acho que precisa estudar, ler, saber sobre história da moda, história da arte, precisa ir ao cinema, precisa olhar o mundo, treinar o olhar. Precisa se encantar pela profissão e pelas pessoas. É isso. <3

Tem alguma outra dúvida? Deixa aí nos comentários e eu respondo! 🙂

Comente no facebook

comentários