10 Coisas Que Ninguém Me Contou Sobre Gravidez…

thais rapha e mingau gravidez primeiro trimestrecom dois meses de gravidez, família completa! já tinha pancinha, vai… haha <3

[post feito quando eu ainda não tinha entrado no segundo trimestre da gravidez, ou seja, é sobre os famigerados 3 primeiros meses!].

Eu já vou começar o post me defendendo porque a intenção (eu juro!) não é polemizar, eu só quero contar pra quem ainda não tá grávida um monte de coisas que ninguém me disse. Então, siiim, eu tô muito feliz de estar grávida, muito mesmo. Penso nisso o tempo todo, tenho vontade de contar até pro desconhecido na rua, fico imaginando minha vida agora com um baby e fico planejando qual roupa ele vai usar pela primeira vez, como vai ser o quartinho dele e se ele vai puxar meus big olhos (e a miopia haha). Minha vida mudou total, óbvio e é impossível não se emocionar ao ver um coraçãozinho batendo em ritmo de escola de samba dentro da minha barriga. <3

Maaaaaas, eu preciso contar pra vocês, amigas leitoras, que o buraco é muito mas MUITO mais embaixo.  Nem tudo são flores como dizem as mães comercial de margarina, elas nos enganaram! Hahahaha. Ok, pra muita gente a gravidez é sim (elas juram!) um mar de rosas. Eu acredito, mas eu tomei algum sustos talvez por ignorância mas certamente por falta de informação.

Portanto, esse é um post master-mega-top-super-totalmente pessoal. Eu vou falar de mim, das coisas que eu tô passando, só e somente. Talvez eu seja um ET e esteja sozinha nos problemas mas talvez eu tenha uma leitora que está na mesma canoa que eu… vai saber ;).

Antes de engravidar eu juro por deus que achava que a única mudança no organismo seria a barriga e os peitos. Achava que não teria enjôo (ninguém na minha família teve), que trabalharia non stop até um dia antes do neném nascer (tipo todo mundo que eu conheço) e seria super atleta, faria muitas caminhadas, comeria super saudável. Enfim, mulher maravilha wannabe. Sinto informar que não tá rolando assim… Portanto as 10 coisas sobre gravidez que eu descobri sozinha:

• Não posso mais usar na pele NADA sem antes fazer uma longa pesquisa na internet. Sim, porque até a dermatologista que eu fui me mandou usar um creme que, no fim das contas, descobri que não deveria estar usando. Vem escrito na bula do maldito que é proibido pra grávida e a louca me recomendou. E, por causa dos hormônios, minha pele tá um lixo. Espinhas, oleosidade e poros giga é só o começo. Meu cabelo também tá super ressecado e rá: só pode retocar os fios brancos depois de passado o primeiro trimestre da gravidez – e com tinta sem amônia, claro. Resumindo: casamento dos amigos, carnaval, meu aniversário de 30 anos… tudo grisalha. (Retoquei a raiz com um tonalizante antes de vir viajar. Não cobriu 100% dos brancos, claro, mas já me sinto super melhor!).

• Não pode comer qualquer coisa. Restrição alimentar me irrita profundamente e grávida não pode: comida japonesa, coisas cruas fora de casa (salada, fruta com casca), carne mal passada, salame, presunto cru, bebida alcóolica, cafeína. Tem que tomar mega cuidado pra não comer nada que leve ovo cru, tipo, macarrão à carbonara e mousse, são alguns exemplos. Não deve: fritura, refrigerante, enlatados e açúcar. Sobre o quê, amiga? Cenoura no vapor?!. Todaschora. E ir comer na casa das pessoas vira um martírio: tem que ficar perguntando o que leva cada um do pratos, pedir pra sua carne ser mais bem passada e recusar a sobremesa que tem morango (fruta com casca, lembra?!).

• Sinto enjôo quando como demais, sinto azia quando fico muito tempo sem comer e, antes de ter fome, já sinto uma fraqueza louca e parece que vou cair morta no chão. Virei uma insuportável, quando meu organismo resolve que precisa de comida tem-que-ser-agora, ou eu começo a passar mal, ter azia e tontura. Tá delícia conviver comigo #not. Mas já adianto que consegui me organizar e agora sempre levo comida comigo aonde quer que eu vá – ainda que seja chocolate e biscoito recheado. [antes que vocês me matem, eu juro que voltando pro Brasil vou voltar a comer direito!].

• Você sabia que na gravidez o seu metabolismo fica mais lento e tudo que você comia tranquilamente engorda o dobro? Fica a dica.

• Tive dois sangramentos no primeiro trimestre e guess what?! Repouso. Eu sempre pedi muito a Deus que eu não tivesse que fazer repouso nunca na vida porque eu odeio ficar deitada em casa, eu sou serelepe, gosto de passear por aí, quase morria quando tinha amidalite e ficava 3 dias quietinha. Pois bem, fiquei primeiro 3 dias deitada e depois 2 semanas. Deprimi, chorei muito, passava os dias sozinha (o Rapha precisa trabalhar, né?!) e me senti horrorosa e culpada – eu to grávida, não devia reclamar de nada, devia aceitar tudo com amor, mas não sou tão evoluída. Não podia ir na manicure, não podia ir me depilar, não podia nem pedir comida delivery porque não podia levantar pra buscar a entrega na portaria. Foi foda. Conheço gente que ficou muito mais tempo que eu e sofreu muito menos, mas eu me senti na cadeia (ai que drama! haha). Vi mil séries, mil filmes, não consegui ler nada porque eu tava deprimidinha e senti muito, muito, muito, muito medo. A cada google pra saber sobre o meu ‘descolamento na placenta’ eu lia mil histórias dramáticas e choraaaava com medo de estar tendo um aborto. Foi horrível, mas passou e agora estamos todos bem, fui até autorizada a viajar pro outro lado do mundo e pegar 6 aviões em 2 semanas.

• Nunca tinha tido intestino preso na vida, mas agora tenho, mesmo tomando suco verde. E a melhor notícia é: também tenho diarréia. Alô glamour!

• Um sono absurdo tomou conta de mim. Às vezes tava conversando com uma pessoa e não conseguia entender o que ela falava de tanto sono, juro. Isso, graças a deus, já passou e andei até flertando com a insônia (também nunca tinha tido!). Agora fico cansada antes das pessoas não grávidas, não consigo andar o dia todo, por exemplo.

• O primeiro trimestre de gravidez me pareceu uma tpm non stop. Passei por: carnaval, casamento de amigos, inferno astral e meu aniversário de 30 anos, tudo isso sem beber, sem comer várias delícias, com um sono louco e vontade de chorar todo dia. Se falasse alto comigo meu olho já enchia de água, mico sem fim! Fora que muita gente não sabia que eu estava grávida, ou seja, me olhava com cara de louca! Também ficava irritada, tinha pouca paciência e me sentia sozinha… enfim, bem TPM, mesmo. Mas isso também já passou, graças a deus e sorte do Rapha, hahaha.

• E o medo do que virá? E o medo da minha vida profissional acabar pra sempre e eu virar mãe-dona-de-casa? (o que tudo bem se é o que vc deseja, mas não é o que eu quero. eu amo meu trabalho, quero mto conseguir voltar). E o medo de não saber o que fazer com um mini ser humano?! Logo que descobri que estava grávida fui a um aniversário de criança (da família) e lá tinha um bebê MUITO pequeno, tipo, muito. Aí perguntei e mãe da neném me disse que ela tinha 3 meses. TRÊS?! Quase me afoguei na piscina, se aquilo era um neném de 3 meses eu não ia conseguir lidar com um recém nascido. Paniquei. Mas já respirei mil vezes e tô firme na confiança na mãe natureza.

• Escolhi ter um parto humanizado e peço a Deus todas as noites para que seja um parto natural, sem anestesia, rápido (hehe) e cheio de amor. Mas até achar a minha médica foi também um mega sofrimento… foi em uma ginecologista (humanizada, hein?!) que me disse que nos 3 primeiros meses não era pra eu fazer nada, era primeiro pra esperar ver ser o feto ia vingar. Saí da consulta arrasada, deprê e com certeza que jamais acharia uma médica fofa e querida. Mas achei! 😀

[eu sempre vi posts enormes das pessoas falando sobre gravidez e pensava ‘ai que chatura’ mas adivinha? sou clichê também, gente, hahaha].

Enfim, gente, como eu já disse lá em cima isso foi o que eu senti, não é uma verdade universal. Cada pessoa sente uma coisa e tudo bem, mas eu queria contar pra vocês que há muitas variações e ninguém conta pra gente da parte ruim. Eu desejo, do fundo do meu coração, que você tenha uma gravidez tranquila igual a da minha vó (que um dia antes de parir a minha mãe estava fazendo faxina em casa, não sentiu nem a dor da contração, a danada!). Eu sempre sonhei que a minha ia ser assim também, que eu sou forte, que ia malhar até um dia antes de ir pra maternidade, que seria grávida super natureba … talvez por isso a frustração, né?! Mas sigo na esperança de os próximos 6 meses serem bem mais tranquilos e não vejo a hora de voltar a fazer mil exercícios, voltar pra minha casa e ter minha rotinha de grávida! :))

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.