Com que roupa eu queria ir trabalhar

Seguinte, sempre que eu lia em blogs dicas de roupas para trabalhar eu ficava mega frustrada. Amiga, se você trabalha em pé, 12 horas por dia, correndo de um lado pro outro, eventualmente carregando móveis pra cima e pra baixo e com uma meia dúzia de bophe na equipe é claro que não dá pra ir trabalhar linda. Acrescente ainda trabalhar cada dia em um lugar e até vários lugares no mesmo dia. Quando eu morava no rio e era produtora de objeto (era feliz e não sabia!) meu dia podia começar no Saara e terminar numa loja super chique no Leblon. Imagina chegar as 17h numa loja mega cara, pra alugar meia dúzia de móveis (digamos que não é você a cliente favorita…) e ainda mega imunda de um dia inteiro no sol, calor, correndo pra todos os lados? Pois bem, essa era minha vida. Podia ainda ir filmar em comunidade, Copacabana Palace, praia, noite, dia, calor, frio.. infinitas combinações e quase todas determinantes para afundar a auto estima. Pra não estar 100% do tempo vestida de menino e absolutamente descabelada/suada/suja eu desenvolvi alguns truques. Não, não dá pra ir filmar de salto alto, nem dá pra ir filmar com roupa desconfortável e nem dá pra ficar 12 horas sentando em qualquer lugar, abaixando, subindo escada e ainda fazendo malabarismo com decotes e saias. Como agora minha vida é outra, precisarei inventar um novo guarda roupa de trabalho. Sendo assim, comecei olhando minhas fotos antigas de trabalhos antigos. Acho maravilhoso se fotografar antes de sair de casa: primeiro porque na foto sempre dá pra ver melhor se ta tudo ornando, segundo porque num dia que você tá sem idéia você olha as fotos e imita um “figurini” antigo e terceiro porque eu sempre decido o que comprar olhando as fotos e pensando o que eu queria mudar. E, desculpa a egotrip, mas vamos às fotos.

roupas confortáveis
Bizarrooooo esse monte de eu!

Enfim, olhado pra trás eu percebi que eu uso muito turbantinho, eu amo! Acho que muda qualquer roupa sem graça e ainda acomoda meu cabelo que é mui-to rebelde; em dias que eu sei que vou andar muito, entrar em mil lojas, fazer mil coisas eu uso o turbante pra garantir que no fim dia ainda terei alguma dignidade.

Outra coisa que sempre foi meu uniforme é legging. Brasil, não há nada mais confortável e ainda dá pra usar umas estampas legais. Porém, nunca – eu disse NUNCA – eu usei uma legging com uma blusa que não cobrisse o popozão. Me sinto pelada, não uso nem na academia o que dirá pra trabalhar. No inverno eu coloco meia calça por baixo da legging e fico quentinha! 🙂 Pra não usar um camisetão horroroso e acabar com o pouco charme que resta eu sempre usei blusas que fosse mais soltinhas, mais compridas, mas que tivessem uma bossa. Nas fotos: com a legging de oncinha eu usei uma blusa com golão (que inclusive é da zara man, que eu a-m-o pra comprar camisetas assim) e com a legging preta eu usei uma blusa com babadinho de tule ( na verdade era um vestido da zara kids! hehe).

Também usei muita mistura de estampa, vestidos soltinho + meia calça, cordões escandalosos (mega apegada às minhas penas de preta!) e paetê! Siiiim, se é pra usar camiseta e ficar confortável que seja linda e brilhosa. haha

Nessa época comprei muitos tênis também, afinal, se não dá pra ter glamour dá pra ter estilo. Acabei esquecendo de incluir fotos dos tênis que eu tenho e amo, mas já digo logo que só uso tênis cano alto e a maioria é new order e all star (inclusive enchi de tachinha um branco mega antigo e voltou a ser meu xodó!).

Ou seja: é possível manter a pose sem que isso te faça trabalhar pior. Aliás, nada mais cafoooooooona que ficar regulando os movimentos normais porque a roupa tá inadequada. Socorro!

Entretanto, agora sou uma moça que trabalha em sentadinha em um escritório com ar condicionado e, eventualmente, visita as fábricas dos fornecedores (das coisas que mais adoro!). Definitivamente não rola mais ir trabalhar de sutiã verde limão com a alcinha aparecendo (insira aqui um emoticon de coraçãozinho quebrado!), nem de all star cor de rosa e nem moleton de ursinho – que era o que eu fazia quando tinha que ir filmar doente.

Fiz, então, um quadro de referências com as roupitchas que eu pretendo usar daqui pra frente. Acredito piamente que saber o destino final é fundamental para o sucesso e também pra não comprar coisas inúteis. Claro que não mudei da noite pro dia, ainda faço umas combinações mega equivocadas e já na hora do almoço to sofrendo porque não deu certo e, não, não usarei roupa social careta jamais! E saber onde eu quero chegar não proibe em nada as mudanças ao longo do caminho.

inspiração
Me inspirando nas mais musas!

Antes de mais nada, só entra pra minha gigantesca pasta de referência quem eu acho que preenche todos os requisitos: ser bonita, ser estilosa e ser uma pessoa interessante. Não adianta uma foto da Kim Kardashian, por exemplo, com a roupa mais linda do mundo, porque eu não acho ela “inspiradora”, if you know what I mean. hehe

Bom, as minhas eternas escolhidas são: Kirsten Dunst, Olivia Palermo, Alexa Chung e Kate Moss. Pra completar ainda tem a Sarah Jessica Parker, por quem eu sou completamente apaixonada, mas confesso que as roupinhas dela são mais “festivas”, digamos assim.

Na minha nova vida profissional eu quero: all black com sapato masculino, muito navy, um sobretudo meio bege/meio marrom, over the knee boot igualzinha-a-da-kate-moss, vestidinhos alexa chung pro mini-verão paulistano, jaqueta com ombrinho de paquita (eu tenho uma jaqueta de couro com esse ombro e amo sem fim! ainda que eu seja mega zoada por causa dela. haha) e conjutinho saia + casaquinho. É isso, mudei um pouco o jeito que eu trabalho mas não virei advogada, néam? Não preciso ir trabalhar mega social, nem mega executiva. Queria também acrescentar salto alto, mas confesso que já estou há mais de um mês no trabalho novo e ainda não me aventurei…

Ps. Nunca superarei essa sapatilha Valentino de tachinha. Eu quero! 🙁

Ps2: As fotos ficam grandes se você clicar!

Ps3: Não, não me acho linda/bem vestida/digna de dar conselhos. Mas eu gosto muito de roupa, ah isso eu gosto!

Alguém tem mais sugestões pra me dar?

Bom, depois faço uma edição 2 desse post contando se eu consegui atualizar o guarda roupa, se descolei novas referências e novos truques. Mas o turbantinho fica pra sempre!

0 comentário em “Com que roupa eu queria ir trabalhar”

  1. Só falta agora dar as dicas de como tirar fotos de si mesma com tanto estilo… Juro, tentei e fica bem marmota, beijo!

    1. Thais Farage

      ahhh mas marmota fica, uai. mas acreditar na marmotice faz parecer menos pior! tire fotos de vc, tia, ajuda muito!!

  2. FERNANDA LAIGNIER

    * P.S # 2 : o dia que vc vier pro Rio, só traga uma carry on; vc vai se divertir taaaaaaaanto com o meu armário !
    Vc e a Gutinha são as únicas amigas parceiras de modelagem 36 ou xs que eu tenho ! Vivemos num mundo de gigantas ! Eu só consigo dividir make up e acessórios, pôxa…

  3. FERNANDA LAIGNIER

    * O que eu acho ? Bom, eu acho que a Thais era a musa mais bem vestida de qq departamento de arte do cinema nacional ! Quiça, de todos os departamentos !

    Em pleno verão carioca, não há pernas que superem as delas, desfiladas quase nuas, cobertas por um shortinho jeans e All Star de cano alto.

    Isso sem falar que ela SEMPRE consegue dar uma bossa nos cabelos : faz trancinhas, arquinhos, etc, etc, etc.

    Amiga, vc dramatizou, hein ?! Até pro set vc aparecia vestida saída diretamente de mood board de PPM pra agência de paulista ! uhauhauuhauhauha

    O pouco que eu vi dos últimos dias, vc tá arrasani na moda escritório : linda de viver !!! <3

    Agora, please, a sapatilha Valentino é affordable, juro ! Saks Fifth Avenue resolve fácil ! Qdo vamos viajar juntas ? Vai ser tãaaaao legal fazermos compras que nem 2 Carrie Bradshaws surtadas ! <3

    P.S : blusa jeans : passei um ano atrás de uma que eu amasse; encontrei na Levi's, mas como o preço do Brasil é abusivo, esperei pra comprar fora, e tracei a minha na Levi's da Promenade St, em LA, por um terço do valor praticado aqui na terrinha.

    1. Thais Farage

      Ahhh quero demais viajar com vc, Nanda. Vou ser a mais feliz do mundo, voltarei falida (nem 3 séculos de poupança dariam conta da gente!), com 3 malas, mil makes e super bem vestida. <3

      E todos os dias que eu acordar com a pele horrível - hoje! - num bad hair day e sem caber na calça jeans vou te ligar pra você me animar! haha Já tô com saudade de vc no escritório! Volta!

      Poupança para sapatilha valentino começando em 4,3,2...

  4. Não sei qual seu trabalho novo; fiquei curioooosaa!!! hahahaha
    Mas independente de ñ saber, pelo seu quadro de referência, eu definitivamente acrescentaria uma camisa jeans de lavagem clara, uma calça cigarrete preta em substituição às leggings(um tecido mais estruturado acho q tira o informalíssimo strech da legging), suéter(s)estampados e/ou coloridos e finalmente um salto realístico: plataforma(ou botinhas). numa altura decente! rs.
    mas disso vc sabe 😉

    Beijoca!

    1. Thais Farage

      Ahhh eu amei as suas dicas. Agora, onde comprar uma cigarrete preta estruturada? QUEROAGORA! hahaha
      Aliás, Letícia, me ajuda a achar uma botinha desejo? Vou fazer um postzinho pra ver se vocês me ajudam!

      Ps.: Não tenho uma camisa jeans, dá pra acreditar?

  5. Não sou produtora de arte, mas super entendo a dinâmica “preciso achar uma roupa que vá do saara a loja chique”, que no meu caso seria mais “do ensaio de manhã ao teste de elenco à tarde”. É realmente cansativo ter que ficar maquinando uma roupa que sobreviva a tudo isso, deve ser diferente e divertido poder se vestir sem ter que se preocupar com os quinhentos ônibus que você vai pegar ao longo do dia, rs.

    Amo a ideia do look all black com sapato masculino e esse look da Alexa Chung de listrinhas + sobretudo khaki!

  6. eu deveria usar esse turbante se for realmente resolver o problema do meu cabelo no final do dia, depois de cuidar de 40 crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.