Diário de (segunda) Gravidez: 4º Mês

1 mês | 2 meses | 3 meses | 4 meses. e aqui vc consegue tb ver o diário do primeiro trimestre.

Aqui estou eu, atrasadííííssima no diário mensal de gravidez. Não é só porque é o segundo filho, haha, mas é também a sobrecarga da quarentena. Não-da-tempo-de-fazer-tudo e eu tô sempre apagando um incêndio mais urgente. Mas vamos lá, como foi o quarto mês por aqui. Aliás, vale um disclaimer sobre como eu conto os meses: descobri pelo google que tem milhões de jeitos de contar, então eu vou continuar fazendo do jeito mais tradicional: número de semanas dividido por 4. Ou seja: to chamando de quarto mês o período entre as 16 e 20 semanas. Você pode ser mais precisa que eu e usar uma calculadora que faz a conta exata!

enjôos e mal estar

Melhorou MUITO o enjôo, não acabou tudo logo na 12ª semana, como eu já tinha dito, mas melhorou no quarto mês. Realmente zerou. Mas aí que eu tenho azia. Todo fucking dia. É muiiito chato e ja tentei todas as ideias saudáveis: maçã gelada, limão, amêndoas, batata… já me deram mil dicas, testei todas e é isso aí, tenho azia. É sempre a noite e percebi que quando paro de comer super cedo, tipo 18h, é melhor. Então tô nessas, não janto mais. Ainda assim eu costumo ter um pouco de azia, mas é infinitamente melhor que quando eu como.

O sono infinito também passou, não to no meu normal, ainda tenho mais sono que normalmente, mas já melhorou demais. Tô animada, conseguindo trabalhar bem melhor… tenho mais energia, tá mais legal. Tô numa fase feliz, leve, apesar da nenhuma normalidade e da imensa frustração (não sair de casa, não dar rolê com a barriga, não trabalhar e organizar tudo pra minha licença maternidade e por aí vai…). Mas já abro esse tópico, peraí.

grávida de 4 meses e me achando e-nor-me, agora olho pra essas fotos e acho micro, haha.
Exercícios e comida

Esse foi o mês que eu comi melhor, mais saudável, voltei em uma nutricionista que eu já estava indo pré pandemia, me organizei, diminuí muito açúcar, carboidratos pobres, blablabla. Adiantou nada. Azia seguiu, engordei como já estava engordando e aí enchi o saco, haha. Cara, eu como super bem normalmente, sem drama. Mas como doce também, pizza também, delícias também. Eu até tava disposta a abrir mão se fosse pra me sentir melhor, não ter mal estar, engordar menos, mas pra ter zero benefício, sinto muito, vai ter pizza e doce.

“Ahhh, mas tem benefícios pro neném blablabla”. Eu acredito. De verdade. Mas eu acho a gravidez um período de MUITA privação – não beber, não comer carne crua, queijo com leite cru, não pode fazer qualquer exercício de qualquer jeito e por aí vai – aliado à pandemia… onde grávida é grupo de risco. Sinto muito, eu não abro mão de comer o que eu tiver vontade.

Sobre Medos e inseguranças

Na minha primeira gravidez eu achava que me sentia tão insegura porque eu estava “engordando muito”. E nem tava. Engordei 14kg, super de boa. Mas eu tinha essa paranóia e achava que era por isso. Eu não me senti linda, iluminada, confiante… me sentia esquisita, não conseguia me ver, mas também não tinha essa clareza. Dessa vez eu consigo entender um pouco melhor… eu sinto muito medo quando tô grávida e me sinto muito insegura porque a vida mudou e mudou muito, mudou de um jeito que eu não imagino como será. Não é tipo mudar de casa, de trabalho, de cidade, tudo isso eu faço muito, lido bem. É uma mudança completa, é deixar de ser eu pra ser eu mais +1 – e agora +2. Saber que existe um ser humano no mundo que depende completamente de você é muito intenso.

Pensar que a vida como eu já conhecia, dominava, funcionava, não existe mais… é pesado. E tudo bem, eu já sei também que tudo rola e é muito melhor do que era antes. Mas é outra vida, com outra responsabilidade, com outra necessidade, com demandas imediatas. Pré-filho eu não cozinhava em casa, por exemplo, eu comia na rua, o que tinha, tanto fazia, eu me virava. Pós filho isso não existe. Não me viro mais sozinha, filho demanda rede de apoio, pedir ajuda, escola… E é isso que me dá medo, da reviravolta que a vida dá. E dá. Relaxa e se permita mergulhar, repito todo dia, eu sei que afundo e sei que volto, mas é punk, não é bolinho, não.

Mas desligar isso do corpo, do “belo”, ajuda muito. Faz tudo ser mais leve, consigo localizar minha insegurança, não estou me sentindo “feia”. Me sinto frágil e na minha cabeça maluca, frágil sempre foi algo ruim, menor, feio. Mas tô de boa, aceitei. Tudo bem ter medo. Talvez por isso, tenho lidado melhor com as mudanças, conseguindo observar mais, perceber, achar leve. E olha que dessa vez já engordei bem mais que na primeira gravidez. Tô presa em casa, é muito natural que seja assim.

foto com 18 semanas 🙂
sobre a pandemia e afins

Eu tô bem cansada, no limite. O primeiro trimestre foi bem punk nesse sentido – vomitando, trabalhando, cuidando do mig, cuidando da casa e com muuuito sono. Agora já melhorou bastante, achamos uma rotina que quase funciona (nada funciona 100% nesse caos que estamos vivendo), dividimos melhor as funções, dei uma pausa de trabalho, ficou mais leve. Mas é suuuper difícil lidar com a frustração.

Eu quis engravidar, calculei quando ia ser legal o neném nascer – organizando meu trabalho e do Ivo – fiz um planejamento de licença maternidade… e tudo foi por água abaixo, haha. Eu achei que ia fazer muito exercício (na academia), achei que ia conseguir seguir com todas os mil projetos que estavam amarrados. É difícil lidar com isso todo dia, não sei ainda como vai ser minha licença maternidade, tive que parar um monte de projeto. A lição da quarentena é, pra mim, lidar melhor com a frustração.

compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

3 respostas em “Diário de (segunda) Gravidez: 4º Mês”

Thais, todos tivemos planos adiados em 2020. Esse sentimento de frustração que você está sentindo é mt normal.
Fico alegre em ver que o peso não está sendo uma questão pra você. Primeiro porque você está linda. Segundo porque está saudável. Terceiro porque o seu corpo é o abrigo desse bebê.
To AMANDO acompanhar os diários mesmo não tendo filhos. Acho você inspiradora.

Aí Thais, tô tão orgulhosa de ver sua evolução e resiliência. Pq meio que a vida é assim né, tentando, errando, tentando, acertando. E fico feliz de você ter superado muitas coisas. Tô na fase de ver o lado bom das coisas, por isso nem vou comentar sobre as coisas ruins, pq de uma forma ou de outra vc vai superar, ou vai acabar. Adoro seus posts, te admiro mto❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

posts relacionados

Look all black com meia calça da thais farage grávida

Onde comprar meia calça?

Meia calça pra todo gosto Sim, o momento chegou e vamos passar uma listinha caprichada de onde comprar meia calça pra dar aquele borogodó no

instagram

assine a newsletter farage.inc ❤

Se inscreva e receba toda segunda no seu email conteúdos criados alternadamente pela Thais e o time de conteúdo!

    Thais Farage 2020 Todos os Direitos Reservados