Diário de (segunda)Gravidez: Primeiro Trimestre

junho de 2020 – 3 meses

Comecei esse diário, que não é feito todo dia haha, lendo os que escrevi quando tava grávida pela primeira vez. Taaaanta coisa que eu não lembrava mais, achei fofo, decidi fazer de novo. A ideia então é ter um post mensal + esse, que inclui o primeiro trimestre inteiro.

Assim como na gravidez do Mig, eu descobri muito rápido que estava grávida, soube antes da menstruação atrasar. Eu já queria engravidar, então tava usando um calendário de ciclo menstrual (Clue) e ficava mais ou menos de olho no período fértil. Percebi que tinha rolado porque senti uma cólica que sabia que não era menstrual, foi uma memória do meu corpo e da gravidez anterior – com o Mig soube também super cedo porque meu peito mudou completamente, da noite pro dia.

Fiz o teste de farmácia no dia do do meu aniversário, 9 de abril, e 4 dias antes do dia em que a menstruação deveria vir. Positivo <3. Tem coisas muito legais de saber antes do tempo comum: parei de beber (tava bebendo bem mais nessa quarentena), comecei a prestar atenção nas atividades físicas, respeitei a cólica e fiquei quieta… mas é muitooooo tempo pra estar grávida, gente. Pensa. Demorei demais até poder contar pras pessoas, até fazer ultrassom – principalmente em tempo de pandemia! E como passei muito mal nesses primeiro meses, passei um tempão me sentindo doente e não grávida.

Fiz o teste de manhã bem cedinho, contei pro Ivo e contei pro Mig assim que ele acordou. Foi um aniversário fofo – sem álcool, porém, hahaha. Começamos a contar pras famílias depois do teste de laboratório, contamos pra uns amigos mais próximos depois do primeiro ultrassom (com 9 semanas) e demoreeeei a sair contanto depois das 12 semanas. Achei um saco não poder encontrar ninguém, ganhar abraço, não tinha vontade contar no whatsapp, acho chatérrimo fazer facetime-zoom-meet.

1 mês | 2 meses | 3 meses

Teve isso, se na gravidez do Mig eu não tive nenhum enjôo – só sentia fome e sono! – dessa vez eu fiquei suuuper enjoada. Não vomitei todos os dias, mas começava a ficar em enjoada pós almoço e só voltava a me sentir bem no dia seguinte. De noite era o pior momento, era ruim demais, tinha dia de ir deitar super cedo e não conseguir me mexer na cama sem precisar vomitar. As piores comidas pra mim nessa época: salada e coisas mais cruas. Eu ficava muito melhor com carboidratos e, assim como na primeira gravidez, tenho desejo de comer arroz-feijão-carne-farofa todos os dias! Tenho muito desejo de ovo também e fruta nem sempre me caía bem… lembro de um dia que comi mexerica e vomitei em seguida. Salada me fez vomitar 100% das vezes que comi. 

Foi difícil também por estar sobrecarregada nesse esquema pandemia: Mig-casa-trabalho-gravidez e enjôo e cansaço absurdo. Foi punk. Tinha dia em que estava super enjoada, muuuito cansada (sempre sinto mto sono nesse início) e precisava correr, brincar, jogar bola, lavar banheiro… foi bem difícil. E, realmente, já ter um filho faz a segunda gravidez completamente diferente da primeira.

Através dos diários de gravidez do Mig percebi como eu fiquei neurótica com o meu peso. Eu só falei disso, só pensei nisso e lembro mesmo de ter ficando super ansiosa de estar engordando, de ter muita fome. No final eu só queria que o Mig nascesse logo pra eu parar de engordar. Entrei em uma loucura, não foi legal, não me fez bem. Dessa vez, ao contrário dos diários de gravidez do Mig, não quero ficar falando de peso. Primeiro porque, de fato, eu vou ficando ansiosa com isso – não sou uma pessoa que engorda pouco na gravidez, eu sinto muita fome e como mesmo! Segundo porque mudei e acho que fiz posts muito gordofóbicos na minha primeira gravidez. Então não vou ficar focada nisso. Mas, sim, engordei no primeiro trimestre 🙂

… e a barriga apareceu dessa vez muitoooo rápido, gente. Com 6 semanas seu já achava meu corpo diferente (só eu, mas tava!). Com 2 meses já tinha barriga, com 3 meses já parecia minha barriga de 5 meses da gravidez Mig. É um consenso que a segunda gravidez a barriga aparece antes, mas tomei susto mesmo assim.Meu peito ficou imenso logo de cara (não entendo essa ansiedade do peito de crescer sendo que só vou amamentar em dezembro!!!), meu quadril também cresceu. Minhas roupas ficaram todas justas e apertadas e terminei o primeiro trimestre ainda com enjôo (só parou com 17 semanas), mas mais leves.

Dessa vez sinto que tô infinitamente menos ansiosa. Ainda que magoada por não poder estar trabalhando como gostaria, dando rolê como gostaria… mas eu não to ansiosa, preocupada, como sinto que fiquei na gravidez do Mig. No início acabei ficando mais ansiosa porque queria que passasse logo esse tempo de enjôo e também as fatídicas 12 semanas, quando passou, relaxei total.

Outra coisa que fiz diferente é que dessa vez fiz exercícios desde antes de estar grávida, não parei em momento algum. Cla-ro que na semanas em que vomitei muito e morri de sono não fiz nada, mas, em geral, não parei. Nesse primeiro trimestre eu fiz aulas funcionais online (que faseeee) – fico frustrada quando lembro que estava num ritmo super bom de academia e muay thai pré isolamento, justamente me preparando pra ter uma gravidez mais saudável e ativa. Mas é isso, fiz o que deu.

A parte mais legal do trimestre: ver Miguel e Ivo se relacionando com a gravidez, descobrindo, entendendo, felizes, emocionados… <3.

8 comentários em “Diário de (segunda)Gravidez: Primeiro Trimestre”

  1. Erlane de Paula

    Thais, que lindeza de relato. Você escreve de uma forma muuuuito bacana… aconchegante e convidativa, sabe? Ah! E amei esse retorno ao blog. Sou dessas que ama ler as legendas grandes no Instagram, que contam a história e tal… então… Blog é tudo! Obrigada por compartilhar esse momento tão de vocês <3

  2. Estou com 7 semanas e a ansiedade de esperar as 12 realmente causa ansiedade e bastante desconforto, principalmente passando tão mal (eu de enjoos e dores de cabeça) e sem poder comentar com ninguem ou ficar quieta no meu canto. Mas confesso que esse tempo estou mais reclusa e está sendo ótimo, dei um tempo das redes sociais e consigo vivenciar melhor o meu eu. Dessa vez, meu eu grávida. <3

  3. Thais, mt bom ler o eu diário. Não estou grávida, mas amo ler esses relatos para ir preparando o meu psicológico se é que existe preparação! hahaha
    Ah, amei as fotos do crescimento da barriga. Vc está lindíssima!
    PS: se puder e quiser, conte perguntas do Miguel. Acho tão engraçado quando as minhas amigas que estão tendo o segundo filho contam acerca das perguntas dos(as) primogênitos(as).

  4. Adorei o relato do primeiro trimestre. Nós gostamos e para você fica registrado para sempre essa fase tão gostosa e especial!

  5. Daniela Chaves

    Saudade desse blog, gente! Que delícia vc voltar com o blog justamente nessa fase! Estarei aqui acompanhando tudinho!
    Beijos pra essa família linda,
    Dani Chaves

  6. Que relato mais bacana. Muito interessante pensar nessa memória do corpo e como você o conhece bem. Adorei que você tem um blog escrito. Estava com saudade de ver conteúdo nesse formato.

  7. Vanessa Ventura

    Que lindo você compartilhar sua vivência com tanta sinceridade, Thais. Sinta-se acolhida – vai ser um prazer acompanhar e torcer pela sua jornada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

assine a newsletter farage.inc ❤

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

thais farage

CNPJ: 14 552 312/0001-12 | Farage Inc
2021 © Todos os direitos reservados.