Friday Top Five • Soluções Simples para Problemas de Gravidez

Fiquei pensando outro dia que existem algumas coisas que fizeram/ estão fazendo toda a diferença na minha gravidez. Dicas simples e fáceis mas que eu fui descobrindo à medida que fui sofrendo. Hehe. A verdade, pra mim, é que estar grávida é realmente um milagre acontecendo dentro da sua barriga, uma sensação muito louca ter um mini ser humano dentro de você, mas que é preciso ter coragem (e eu tenho!) pra dizer em alto e bom som: gravidez não é moleza, não é para princesa, não é só delícia. Muita coisa chata e incômoda acompanha o seu baby…. e, tudo bem, desde que você tenha ajuda para lidar com as chaturas.

Vou dar 5 dicas de coisas aleatórias que estão sendo salvadoras pra mim! Coisas simples, que eu adoraria contar pras minhas amigas que vão ficar grávidas depois de mim – e leitora amiga é o que não tem faltado! ♡♡♡

✭ Amêndoa

Parece uma bobagem e nem eu nem acreditaria nesse milagre todo se eu não fosse a prova viva da sua eficiência, hahaha. A amendôa é a grande responsável pela melhora – quase fim! – da minha azia, foi ela quem me salvou de ir parar no hospital no meio da madrugada. Juro!

Ela funciona super hiper mega bem no meio da crise de azia… começou a sentir má digestão e queimação?! Come um punhadinho de amêndoas (de preferência com pouco sal) e rapidinho o mal estar vai embora. E sem tomar remédio! Amor eterno, amor verdadeiro. Não vou nem na esquina sem amêndoa!

Mas, vale lembrar também que o que ajuda pra caramba é não comer demais e sim optar por porções menores.

✭ Mammy Belt + Calças para Gestante

Já fiz post sobre o mammy belt aqui no blog e a delícia que foi poder recuperar algumas partes de baixo pré Miguel. Não, não acho que o mammy belt sozinho substitui, por exemplo, as calças com elástico feitas especialmente para as grávidas, mas quebra o maior galho com saias, shorts e calças. No início da gravidez, então, deve ser sensacional, o preço é bem honesto e vale demais o investimento!

Já a calça para grávida é uma parada que eu tinha o maior preconceito do mundo – pra mim era tipo ‘confort shoes’ que eu morro, meu pé cai, mas eu não uso! Mas descobri que é uma invenção genial, traz muito conforto e tem modelos lindos, não dá nem pra ver que é  ’roupa de grávida’. Recomendo muito! Eu comprei duas nos EUA na Pea in the Pod e ganhei uma mara da Caricatura – uso non stop, todas elas!

calça com elástico na cinturaNem parece calça de grávida, fala sério?! E a da Caricatura eu mostrei aqui.

✭ Suco Verde

Eu sempre curti suco verde e tomo (quase) todo dia há mais de um ano, já. Mas, na gravidez, só o suco verde me salvou do intestino preso…. como eu disse, gravidez não é tema de princesa e aqui a gente fala, sim, do intestino! Ninguém aqui é Barbie, né?

Quando eu ficava sem tomar o suco verde, tipo em viagens, eu simplesmente não ia mais ao banheiro. Sensação horrorosa que eu nunca tinha tido na vida e chegou com força total com a gravidez… Então eu recomendo, sim, achar uma receita que você goste e investir no suco. Dá trabalho? Super. É uma delícia? Eu acho, mas a maioria das pessoas odeia. Mas, mesmo assim, vale a pena. É um santo remédio.

Minha dica é: faça cubinhos de couve, de hortelã, congele a cenoura, organize a função de um jeito que seja mais fácil pra entrar na sua rotina. Vão te falar que congelar a couve faz com que ela perca um pouco da vitamina. Perde mesmo, mas é melhor que não congelar e também não tomar… Sou do time ‘antes feito do que perfeito’ e, sério, pra mim faz suuuuper efeito! Às vezes acaba tudo lá em casa e só tem couve e abacaxi, por exemplo, bato os dois e sou feliz! Às vezes bato só a couve com limão, vou fazendo o que dá e garanto que é melhor que nada.

Ahhhhh! Outra coisa: quando tomo suco verde sinto menos ‘fomes avassaladoras’ ao longo do dia. Juro!!!

suco verde na gravidez

✭ Livros de Maternidade

Entram na mesma categoria ‘tinha preconceito mas me rendi’. Sou dessas, mudo muito de opinião, graças a deus, e acabo pagando a língua. Nem ligo! Hahaha.

Eu ganhei uma PENCA de livro sobre maternidade, filho, recém nascido, dúvidas, como fazer dormir, mil guias e, sinceramente, só li dois. Eu folheei o ‘O que esperar quando está esperando’, dei uma olhada no ‘Nana Nenê’ e li de verdade:

– Maternidade e o encontro com a própria sombra (Laura Gutman): Ainda não terminei, confesso, hahaha, mas vou falar assim mesmo!

Acho a Laura Gutman mega, master, super, totalmente xiita. Acho que o livro tem uns exageros loucos [tipo: a mãe deve ficar com o bebê no colo o tempo inteiro, deixar ele dormir na cama com o casal, o marido deve manter os problemas ‘mundanos’ longe da mãe até o segundo ano da criança (!!!!)]. Por outro lado, acho que o livro tem outras coisas bem legais. Desde o dia 1 da minha gravidez eu soube, intuitivamente, que receber o milagre de um filhotinho não é só um processo lindo, iluminado e tranquilo como o mundo quer que a gente ache. Muita coisa muda, o corpo passa por um bombardeio de hormônios e a cabeça também! Tenho sentido que virar mãe é sim lidar com problemas que você escondia debaixo do tapete, se permitir aflorar um lado mais animal/instintivo e ela fala bastante sobre isso no livro. Lendo com parcimônia e espírito crítico, eu acho que é um livro ótimo e cheio de pensamentos importantes sobre temas que ninguém vai falar com você. Recomendo, sim.

– Crianças francesas não fazem manha (Pamela Druckerman): Completo oposto do livro anterior! Hahahaha.

Também acho que precisa ser lido com parcimônia (aliás, tudo né, gente?!). Mas é super leve, engraçado, tem umas dicas que acho incríveis e um dia eu saberei se funciona mesmo na prática, hahaha. Mas é um livro bem mais leve! Ela fala muito sobre como as crianças francesas já dormem a noite inteira bem pequenas e como as francesas acreditam que ensinar o neném a dormir é um função dos pais – e é também uma tarefa tão importante quanto qualquer outra! Achei um livro divertidinho e vou acabar relendo em momentos de apuros, hahaha.

Concordo muito com a autora quando ela fala sobre a criação americana – que é super parecida com a nossa. Que somos super protetores, que competimos umas com as outras, que as crianças fazem o caos quando vão a restaurante porque a gente permite isso. Quero muito tentar fazer um pouco diferente – atenção: não estou falando que vou conseguir, não estou julgando quem pensa diferente, não acho que todo mundo tem que fazer igual, peloamor. Não tenho nem paciência pra essa polêmica que é discutir a educação de filho.

livros de maternidade

✭ Yoga + Caminhada

Juropordeus: Yoga fez milagres por mim! Estou com quase 7 meses e só tive dor nas costas quando faltei na yoga, juro! Todo mundo que eu conheço com o mesmo tempo de gravidez que eu já está com dificuldade pra dormir, dor na lombar, pernas inchadas…. eu não tenho nada! Além do milagre de não ter dor, minha postura melhorou 100%, todo mundo comenta! Acho que o legal é procurar uma yoga que seja mais individual ou voltada para grávidas. Eu faço Iyengar Yoga, quase particular porque a minha turma tem bem pouca gente, noShala Rosa. Quem mora pela Pompéia/Lapa eu super indico, a Dani – dona e professora – é um amor e me salvou!

A caminhada também é ótimo, gente. Sinceramente acho que não fez nenhuma diferença no meu processo de engordar/não engordar, mas acho que fez muita diferença no bem estar. É a hora que penso, respiro fundo, fico sozinha, quase um momento terapia, hahaha. E sinto que ajuda também a não ficar tão inchada, acho que ajuda com as dores também…

1yoga na gravidez

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

assine a newsletter farage.inc ❤

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

thais farage

CNPJ: 14 552 312/0001-12 | Farage Inc
2021 © Todos os direitos reservados.