Rehab e Telefone

Eu sempre achei uma grande bobagem quem entrava nesse papo de rehab do telefone, de viajar seilápraonde pra ficar sem sinal e desconectar a cabeça. Achava um mico, confesso. Pensava ‘cara, é só desligar a porcaria do Iphone, não precisa viajar, se internar’, hahaha. É, até que eu percebi que eu tava super ligada e não conseguia ficar offline de jeito nenhum!

Sempre fui viciada, mas depois que Miguel nasceu eu fico numa paranóia louca de que não posso piscar longe de casa sem estar com olhos fixos no telefone. Vai que ele precisa, vai que ele chora, vai que eu fico com saudade… Paranóia mesmo. Além disso, tem toooodas as redes sociais, os emails e tudo que me consome e me mata de ansiedade. Refresh pra ver se fulano respondeu meu email, refresh pra ver se aumentaram os seguidores no instagram (@thaisfarage, aliás, hehe), refresh pra ver se os posts tiveram comentário, se subiu direitinho no facebook e no twitter. E eu to sempre devendo: tem sempre email não respondido, mensagem não respondida, pergunta no instagram, comentário, eu sempre tenho coisa pra fazer na internet e, consequentemente, no telefone.

Até que um dia eu reparei que o Miguel estava ficando apaixonado pelo meu telefone (eu não deixo ele brincar, ver filminho, nada!). Ele ficava louco querendo ficar com ele nas mãos, e, pasme, já sabe até passar de uma foto pra outra. Fiquei bolada. Depois notei que ele ficava puto quando a gente tava brincando e eu pegava o telefone. Fazia alguma arte, alguma coisa pra chamar a minha atenção. E a cereja do bolo: eu acordava no meio da madrugada (pra fazer xixi ou porque o Miguel acordava) e, quando eu me dava conta, estava respondendo email. De madrugada. Se isso não é vício, gente, eu não sei o que é!

Cortei pela raiz! Agora eu durmo com o telefone longe de mim pra não ter essa tentação. No primeiro dia quase morri, no segundo eu já consegui voltar a ler livro ao invés de ficar forever no instagram e hoje eu adoro, durmo mais pesado, juro! Cortei também o telefone no tempo que estou sozinha com Miguel. Eu voltei a usar relógio (porque preciso saber as horas, pelo menos, né? hahaha) e só olho pro telefone se for alguma ligação importante. Ligação boba eu retorno depois. O telefone fica longe, nem passo perto.

Olha, preciso dizer que eu passei a dormir muito melhor e que Miguel tem dado muito menos trabalho no fim da tarde. Nesse horário era suuuper difícil inventar brincadeira, ele já tava cansado de tudo, mas agora, que eu to 100% com ele, ficou suuuuper mais fácil e eu fiquei mais criativa também, né? Preciso me entreter junto com ele, preciso pensar em jeitos de me divertir também, ao invés de ficar checando o whatsapp a cada 30 segundos [aliás, vocês também odeiam o whatsapp? aplicativo maldito, cada vez que olho tem 30 mil msg não lidas! affe!!!!].

Ficar um pouco offline é até charmoso, recomendo. 😉

24 comentários em “Rehab e Telefone”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.